sem comentários ainda

História do Campeonato Mundial Feminino de Xadrez [VI]

#6 Maya Grigorievna Chiburdanidze nasceu em 17 de janeiro de 1961, em Kutaisi, na então União Soviética e hoje região da Geórgia. É de uma família de enxadristas, todos jogavam e os mais velhos ensinavam os mais novos. Aos 8 anos aprendeu a jogar com o irmão mais velho, Revaz, e logo começou a vencer os familiares. Quando muito nova, ainda, demonstrou potencial em outras áreas: aos 3 anos de idade aprendeu a ler, aos 5 realizou facilmente operações matemáticas com números de três algarismos e, na escola, foi considerada uma das melhores alunas.

Passava as horas livres estudando xadrez no Palácio dos Pioneiros da cidade e logo, aos 10 anos, tornou-se campeã escolar da República da Geórgia. Com 12, na equipe da URSS, venceu as quatro partidas que disputou com o Mestre Internacional Kalkhbrenner, surpreendendo com a mescla de estilos posicionais, agressivos e finalistas. Comparada a Fischer por Ivkov, levava a modalidade muito a sério. Aos 13 anos ela estreou no torneio internacional feminino em Brasov: a “garota milagrosa” conquistou o primeiro lugar e cumpriu a norma de Mestre Internacional. Aos 17, tinha disputado cerca de 500 partidas oficiais, era campeã soviética e Grande Mestre Feminina (WGM). Teve como primeiro treinador o Grande Mestre soviético Eduard Gufeld.

Em 1976, aos 15 anos, ficou em segundo no Interzonal de Tbilisi, classificando-se para o Torneio de Candidatos. No evento, realizado em sistema eliminatório, superou Nana Alexandria, Elena Akhmilovskaya e Alla Kushnir, conquistando o direito de desafia a então Campeã Mundial, Nona Gaprindashvili.

No 20º Mundial Feminino, Chiburdanidze se tornou a 6ª e mais nova Campeã Mundial Feminina, destronando a compatriota Nona Gaprindashvili que mantinha a coroa por 16 anos. Manteve o título por 13 anos, até o match com a chinesa Xie Jun em 1991, defendendo-o em partidas com Alexandria (8×8), Levitina (8,5×5,5), Ahmylovskaya (8,5×5,5) e Ioseliani (8,5×7,5). Foi a segunda a se tornar Grande Mestre (GM) e também venceu fortíssimos torneios abertos, entre eles Nova Deli (1984) e Banja Luka (1985). Foi nove vezes campeã das Olímpiadas de Xadrez, cinco com a URSS e quatro com a Geórgia.

Maya foi homenageada muitas vezes pelo país e vários selos postais foram projetados para celebrar suas realizações. A Mongólia emitiu um selo comemorativo em 1986 que ilustra uma posição de um de seus jogos do campeonato mundial de 1984 contra Irina Levitina. Aos 57 anos não joga mais ativamente, mas tem hoje 2500 de rating FIDE.

Selo da Mongólia com partida entre Levitina e Chiburdanidze.

Saiba mais em: Linha do tempo do Campeonato Mundial FemininoPartidas | BiografiaBiografia russaCaminho de um prodígioCampeonato Mundial Feminino de Xadrez